21 de setembro de 2016

Castlevania Symphony of the Night (Gamers on the road: 014) Explorando Catacombs

Agora iremos para o ponto mais baixo do castelo de Drácula, aqui nestas profundezas há uma série de galerias subterrâneas em cujas paredes residem tumbas cheias de cadáveres.

A música, Rainbow Cemetery, é sensacional muito embora eu não sinta que dê um tom tão adequado assim para a ambientação apesar de não ficar discrepante.
Assim que descermos, nos depararemos com dois caminhos, o da esquerda tem um save point e um prosseguimento cujo final nos reserva uma Bloodstone que aumenta o poder do personagem quando ele recebe ataque, e oculta numa parte quebrável da parede temos uma Cat-Eye Circlet, um elmo que absorve danos causados por gatos. Segundo agora pela rota da direita, iremos passar por um corredor com alguns esqueletos segurando uma arca com uma enorme cabeça de algo que lembra uma enorme Palanca em ossos, quando destruímos somente esta cabeça, os dois esqueletos fogem assustados com direito a sonzinho engraçado quando pulam.
Prosseguindo mais ainda à direita, chegaremos numa grande área com alguns lodos vivos esverdeados, e grandes amebas coloridas que não morrem com armas de corte, só com magias, sub-armas ou armas NÃO cortantes, aqui iremos fazer um truque interessante com o uso da remoção de paredes, exatamente no ponto da imagem a seguir iremos nos transformar em Morcego, remover as paredes e seguir voando para a direita rente aos limites inferiores do cenário:
Se fizermos certinho, atravessaremos para a próxima parte do cenário onde guarda a armadura Spike Breaker que usada para quebrar espinhos e logo atrás do altar onde a Spike Breaker estava, existe uma parede enfraquecida que oculta um Library Card, um cartão que quando usado serve de teletransporte para a livraria.
No ponto da imagem anterior a esquerda, ao removermos a parede, a armadura cairá no vazio, não se preocupe, basta devolver as paredes seguir para a direita até provocar uma transição de tela e depois retornar e pegar a armadura que estará bonitinha lá no altar. Equipe essa armadura para não ser atingido pelos espinhos do caminho de volta.
Agora a nossa rumo é seguir sempre para a esquerda, passando pelo corredor com caixões cheios de esqueletos que não morrem, um Heart Max Up e um Life Max solitários e uma perigosa sala onde temos de passar por dois coveiros mortos vivos que foram esquecidos de serem enterrados (“Quem enterrará o ultimo coveiro da terra?”) e, quem diria, um Amdusias que é citado na demonologia e na Pseudomonarchia Daemonum de Johann Weyer (1583) como sendo um grande duque dos infernos que possui trinta legiões de demônios sob seu comando, é descrito como sendo um grande ser com cabeça de unicórnio, garras em vez de pés e mãos.
Na próxima tela vemos que nem só de gráficos 2D vive a sinfonia da noite deste Castlevania:
Objetos poligonalmente construídos com um falso efeito de sombra, que na realidade creio que também seja manualmente criado e inserido em sincronia visto que somente os inimigos que estão neste cenário e Alucard na forma “humana” é que possui sombra projetada na parede rochosa ao fundo, e que quando transformado em Morcego ou Lobo (E muito menos a névoa) a imagem não projeta nenhuma sombra.
Mas fique atento a passagem secreta sutilmente anunciada por uma pequena plaqueta setando a direção para uma pequena saleta com uma Icebrand, uma espada mágica de gelo:
Prosseguindo na rota principal da esquerda, finalmente chegamos ao Granfaloon que também pode ser alternativamente grafado acrescentando mais um “L” ficando “Granfalloon”, o chefe do lugar. Granfalloon surgiu no folclore norueguês e assim como na versão de Castlevania, este também é descrito como uma enorme e horrenda bola suspensa no ar cuja sua superfície é formada por um amontoado de cadáveres presos uns nos outros.
Esses corpos, ainda segundo a própria lenda, são de pessoas condenadas que caso se desgarrem de Granfalloon, irão arder com suas almas num sofrimento infinito junto com seus entes queridos (Que também estão agarrados aos milhares na criatura). Porém esses corpos são nutridos e mantidos “vivos” pelo ectoplasma fornecido pelo bizarro ser. Essa casca de corpos que gritam em desespero quando são atingidos se desmancham com ataques revelando o núcleo parasítico que, no caso, é o verdadeiro Granfalloon que se torna extremamente letal quando desprotegido.
Conversando com o meu amigo Samurai Nihon, ele me chamou a atenção sobre uma curiosidade referente a este chefe. Ele me informou que no Japão ele se chama Legion (legião), fazendo referência a um relato bíblico de um grande número de demônios que possuíam um homem de Gadara, onde Jesus expulsou essa Legião que entraram nos porcos e se jogaram no abismo. Já no ocidente, ele é chamado Granfalloon conforme eu falo no post por este ser baseado na criatura mitológica.
Legião Motivacional pôster de Enterpraiz tradução e edição Samurai Nihon

Prosseguindo no game, a Mormegil, Espada mágica da escuridão que é efetiva contra inimigos de essência divina, é o prêmio que recebemos se vencermos o chefe, ela se encontra na derradeira sala deste lugar ainda seguindo em frente pelo caminho da esquerda.
Agora que fechamos o nosso capítulo com mais imagens e informações do que estava ocorrendo ultimamente, devo dizer que normalmente deveríamos seguir de volta para a Royal Chapel para atravessar o caminho de espinhos munido com a armadura Spike Breaker onde encontraremos Maria numa sala onde também encontramos o Silver Ring. Depois iríamos para a área do grande relógio na Marble Gallery onde iríamos equipar o Silver Ring e o Gold Ring (prêmio ao se vencer Succubus) para descermos até o recinto onde pegaremos o Holy Glasses item necessário para derrotar Richter Belmont sem ferí-lo. Mas já que já fizemos isso, no nosso próximo encontro, iremos explorar a Clock Tower para podermos fechar esse ciclo de exploração Desconstrutivas na Castle Keep, onde seguiremos de modo bem mais resumido. Portanto, despeço-me de vocês desejando Vida Longa e Próspera!
\\//_

4 comentários:

  1. muito bom, e só de curiosidade, em Dawn of Sorrow, para se obter a alma desses esqueletos que carregam esse outro esqueleto, o jogador tem que matar apenas os esqueletos, matar o esqueleto que eles carregam não lhe dará essa alma de jeito nenhum, é curioso isso, pois, o inimigo principal parece ser essa cabeça de esqueleto, e é um ponto curioso, pois, de DoS existem muitos inimigos com postos específicos para conseguir suas almas, seria interessante futuras desconstruções de outros castlevanias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho intuito de um dia começar a trazer pra cá jogos de GBA e Nintendo DS, nesse ultimo caso, com certeza Dawn of Sorrow estaria no meio...
      :-)
      Muito obrigado pelo comentário, Nicholas, volte mais vezes...

      Excluir
    2. opa, eu que agradeço pelo excelente trabalho que vocês fazem lol

      Excluir