7 de agosto de 2015

Phantasy Star III EP.04 - A Escolha de Rhys PT-BR

Desejo e destino.

Escolha uma cor entre Azul ou Marrom e arque com as conseqüências que mudarão completamente a sua vida, pois dependendo do que for determinado, a porta de um novo mundo se abrirá trazendo consigo um espetáculo inimaginável de realizações, fracassos e arrependimentos. Pois isso é a vida, sempre foi assim e nunca deixará de ser. Aprender com os acertos e, acima de tudo com os erros, é percorrer uma estrada onde deveremos conviver com as consequências por nossos atos muito embora seja tentador olhar para trás.

Phantasy Star III, embora linear, é o tipo do jogo que em determinados momentos você é obrigado a fazer uma escolha, algo tão importante que mudará a história de todos aqueles que você esta jogando e das gerações seguintes.
Ao contrário das outras postagens que fiz sobre esses gameplay’s, creio que dessa vez não vá ter tantas curiosidades assim, muito embora haja situações que não passam de mera incompetência de programação de tradução disfarçada de algo realmente intrigante e tangível, e justamente a resultante desta tangibilidade é que brotou isso junto com o meu ponto negativo. Compliquei? Vamos em frente no game play e quando chegar o momento certo, eu direi do que se trata.
Bem, conforme visto no post anterior nossos personagens deverão retornar à torre do clima e controle do satélite onde lá no segundo pavimento deveremos encontrar um computador combinar os dois artefatos para mover lua roxa Dahlia. E É AQUI onde eu vou chamar a atenção sobre o nome de um desses artefatos, o tal do “Rasgo da Lua”. O nome do item original é “Moon Tear” e a Tec Toy traduziu isso como “Rasgo da Lua”. Porque? Eles fizeram confusão com o verbo “to tear” (rasgar) ao invés do substantivo “tear” (lágrima), que mais tarde foi usado corretamente ao traduzir “Dragon’s Tear” como “Lágrima do Dragão”. Este item junto com a Pedra Lunar servem para abrir caminho pelo oceano ao norte de Shusoran (Eu leio Xuzorã) para chegarmos até o reino Layano de Cille, que será onde a geração se encerrará:
Aliás! Acho que daria para escrever um livro só mencionando erros de tradução. Por exemplo, “Sapphire glows and you’re inside” (que deveria ser algo como “Safira brilha e vocês entram”) acabou virando na versão TecToyana: “Safira, você, e as luzes estão dentro”. Ou seja, traduziram “Sapphire, glows and you” como três sujeitos. E vocês se lembram da “tangibilidade” que comentei no início deste post? Pois então, aqui em Cille existe uma coisa que eu nunca imaginava que os programadores da Tec Toy fossem fazer ao traduzirem este game. Reparem NO DIÁLOGO DESTE MOMENTO DO VÍDEO que diz:
“Layans não deveriam se casar com os despresíveis de Orakio!” *pauda para comentár*:
Em primeiro lugar, sem levar em consideração a ausência total de acentuação gráfica, pois isso demandaria um trabalho de edição de gráfico de fonte, eles escreveram errado neste momento, o que era para ser DespreZíveis, com “Z” acabou sendo DespreSíveis com “S”, em segundo lugar, o diálogo, se bem me lembro, era para terminar aqui, mas vamos seguindo em frente pois eles quiseram ocultar uma falha de programação com a mistificação desta "marmotagem":
“Fora isso,também (Sim! Eles juntaram as duas palavras entre a vírgula) alerto para nunca tentar sair pelo lado direito de Cille.Quem (Sim! Eles juntaram novamente!) tentar costuma se perder e nunca mais consegue voltar.”
O que acontece aqui é que esse diálogo anterior NÃO DEVERIA EXISTIR! Ele esta mentindo? De fato, NÃO! Se você tentar sair pelo lado direito de Cille, poderá ou não realmente se perder e jamais retornar. O que acontece é que no processo de tradução os programadores devem ter mexido em alguma coisa que não deveriam no Assembly do jogo, o que resultou no arredamento do ponto de transporte (Que chamamos de “Colisão”) que resulta na nossa saída da cidade. Então, se não tocarmos nele ao tentar sair, corremos sérios riscos de nos perdermos no vazio fora da cidade sem exatamente sair da mesma.
O que me intriga é que normalmente temos um espaço muito limitado para encaixar uma frase traduzida no espaço onde a original foi escrita. E para eles terem inserido todo esse bloco de texto, ou é porque já havia espaço para isso (O que eu acho difícil porque os programadores de jogos costumam economizar bastante os bits) ou então eles mexeram com uma coisa chamada “Ponteiros”, assunto este que esta além do meu nível atual de programação de tradução. Sinceramente eu não sei responder isso. E o pior disso é que as incidências desses avisos se repetem.
Outra coisa interessante aqui em Cille são os itens que são vendidos nas lojas, aqui na LOJA DE PROTEÇÃO vendem equipamentos extremamente avançados como os Laconianos, Real e Força, NA LOJA DE ARMAS é vendida a terceira melhor espada do jogo se não me falhe a memória, que é a Planar Sword, também temos arcos, garras e golpeadores. Uma vez eu tentei comprar uma dessas armas, mas no atual momento do game, não há um lugar que permita isso. O problema é que esta cidade ficará completamente isolada, pois o acesso a ela pela ponte será desfeito e quando pudermos chegar até ela usando o planador, se não me engano, a cidade estará vazia. Prosseguindo no game, como o portão do castelo esta fechado, deveremos entrar nele usando uma passagem secreta ESCONDIDA NA FONTE, o problema é que dá para entrar em todas elas, mas existe uma que propicia a entrada melhor no castelo, se não me engano, é a terceira da esquerda para a direita.
É consenso que os Orakianos NÃO deveriam usar magias, enquanto que os Layanos sim. Mas sempre fiquei intrigado dos Ciborgues serem capazes de usar magias, no caso Wren e Mieu, será que eles são Layanos escravizados que foram cibernetizados para servirem Orakio? :-). Após os labirintos, finalmente chega-se no castelo:
AQUI enfrentamos o Rei Cille, que pensa que os personagens são espiões. APÓS SUA DERROTA é que chega o grande clímax desta geração, o momento em que deveremos ESCOLHER entre qual das duas mulheres iremos nos casar, se Lena, que ajudou Rhys a escapar da prisão no início do game, resultando no seu reinado de Landen; ou se com Maia, a garota encontrada na praia enquanto ele vagava pelo domo de Landen, resultando no reinado de Rhys sobre Cille. E é aqui que entra mais uma das artes do Sotério Salles que rendeu uma belíssima capa para este vídeo, Lena e Maia juntas e vestidas pra casar.
Entretanto, o rumo definido pelo meu amigo no GamePlay foi com que Rhys se casasse com Maia. Mas ao fazer isso, novamente a tradução da Tec Toy dá uma zoadinha, reparem no que o Rhys diz quando escolhemos Maia:
“Eu renuncio ao trono de Claim (...)”
Ao ler o texto o original em inglês, temos “I renounce my claim to Landen’s throne”, que traduzindo fica “Eu renunciou ao trono de Landen...”. Todavia, o que ocorre aqui é mais uma falha dos tradutores de Phantasy Star III, ou existe mesmo outro “universo paralelo” brotado na versão brasileira onde existe um reino desconhecido chamado Claim? :-)
Agora que tal aprendermos a pular uma geração inteira sem complicação alguma? É simples! Antes de tudo, tenha um Escapipe com Mieu ou com Wren, e no momento da escolha da mulher com a qual Rhys se casará, escolha Lena, seu filho será Nial.
Assim que você assumir o controle dele, use o Escapipe e seu personagem será levado de volta a Cille, onde o domo de Aquática estará novamente congelada.
Outra coisa interessante é que como aquele domo não esta acessível para a geração de Nial, o Monitor exibirá um pontinho branco flutuando no meio do vazio:
E o mais louco de tudo acontece se você retornar ao castelo, entrando no labirinto e re-encontrar o rei de Cille ainda prendendo Maia. Lutando com ele novamente, ao final ele perguntará com quem você quer se casar, se com Maia ou Lena (é estranho alguém perguntar se você prefere uma mulher ou sua própria mãe). Porém, na hora de apareceram as opções de esposas, aparecerão Laya e Alair, que são as mulheres da geração de Nial, e ao concluir o casamento, você terá pulado TODA a geração de Nial. O problema é se você escolher Laya, seus filhos (Sim! No plural!) não terão um importante item que permite zerar o jogo. Mas se escolher casar com Alair, então conseguirá terminar o jogo pulando a segunda geração.
Mas a escolhe será Maia, e seu filho, Ayn começará a segunda geração, que ficará para um próximo vídeo e texto escrito por mim aqui no Desconstrutor de Jogos. Se perderam algum episódio, basta clicar AQUI para serem levados até a PlayList, mas não deixem de acompanhar, pois será na geração de Ayn que saberemos um grande segredo de Lyle.
;-)
Despeço me de vocês desejando o meu habitual Vida Longa e Próspera!
\\//_

8 comentários:

  1. Eu escolheria a Lena por preferências... Mas pelo jeito quando eu for jogar ele vou ter que ver todas as gerações pra não perder muito do game...
    Felizmente não vou ter que aguentar nenhum problema com a tradução, nem mesmo com a americana kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E se você jogar a versão japa, vai poder enfrentar um inimigo que foi censurado na verão Americana e Brasileira...
      ;-)

      Excluir
    2. OPA bom saber disso... Vamos poder fazer post com isso depois kkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    3. "Lençol" está chegando! :D

      Excluir
    4. Já é na geração de Ayn né?

      Excluir
    5. Já é na geração de Ayn né?

      Excluir