10 de março de 2015

G-Zero = F-Zero?

Eu nunca me canso de ver as obras de pessoas talentosas que se predispõem a fazer algo mesmo que isso pareça blasfêmia gamística aos olhos de muitos FanBoy’s. E sabe o que eu acho sensacional? É que vivendo a guerra dos consoles, principalmente os de quinta geração (16Bits), muitas vezes me peguei imaginado os limites que um console possui em relação ao seu rival usando um determinado jogo como referência. E F-Zero com certeza foi algo que eu me deliciei imaginando uma versão para SEGA Genesis mesmo sabendo que se trataria de algo tecnicamente inferior.


O som tá zoado, mas foi um sonho realizado (Ou quase lá)
\o/

Interrompemos a sua navegação corriqueira na internet para uma notícia urgente cheia de animação e despojado de qualquer compromisso programático (Só estou dizendo que estou usando esse espaço para expressar opiniões bem pessoais minhas). Mas antes, me perdoem porque este post esta saindo "nas coxas". Bem, gostaria de começar o post dizendo que eu cansei de ver em revistas especializadas da época fazendo suas comparações de um mesmo jogo lançado para consoles diferentes, às vezes dizendo que a versão de Mega Drive de um determinado jogo era “melhor” que a versão de Super Nintendo. Todavia, sempre fazemos as nossas própria comparações e muitas vezes optamos por achar uma versão melhor que outra só por causa da nossa “fanboyzisse” :-).


Imagem extraída DAQUI!

Por exemplo, quando lançaram o Street Fighter II Champion Edition para Mega Drive, pensei que aquelas malditas vozes roucas fossem problemas de limitações do chip de áudio do Mega Drive (Na verdade aquilo era a unica coisa que me incomodava naquela versão), mas mesmo assim, mesmo com até os problemas de resolução de tela suportado pelo console, eu sempre gostei mais da versão Champion Edition do Mega Drive do que a versão Champion Edition do Super Nintendo. Mas isso sou eu, o site é meu e eu não estou inclinado a imparcialidade comparando a tecnicidade sobre como os jogos foram programados!
Ao menos não hoje.
;-)
Mas aqueles sons da versão do Mega Drive eu jamais engoli! Nunca aceitei que aquilo fosse o limite da capacidade sonora do console de 16 bits da SEGA. Até que surge um abençoado que “BAM!” corrige aquela porcaria sonora toda com um bom vidro de xarope chamado “Boa vontade, inteligência e perseverança” dá até pra pensar que a Capcom sabotou o projeto por pura &$@¨%#¨@#@, mas melhor deixar quieto. Também tive a chance de jogar a versão beta do mesmo Street Fighter II que, diga-se de passagem, possuía elementos bem mais fiéis a versão Arcade do que a versão World Warrior e até a Champion Edition do SNES. Mas era claro que se tratava de uma versão inacabada e, como sempre, com problemas na parte do áudio. Mas prometo falar sobre isso depois com mais calma. Mas o que dizer do Mortal Kombat I do Mega Drive?


Imagem extraída DAQUI!


Ha quem diga que só por causa do Sangue a versão do Mega Drive se tornaria a favorita. Mas eu ouso a dizer que a jogabilidade da versão do Mega é muito superior a de Super Nintendo. Mas peca feio na parte gráfica e sonora. Mas querem saber a minha opinião? Eu me divirto bem mais com a versão de Mega Drive do que a de SNES.
Pronto! Falei!
Fatal Fury é outro exemplo, mas muito embora eu tenha jogado mais a versão de Mega Drive, eu me sinto melhor jogando a versão de Super Nintendo.


Imagem extraída do DAQUI!

Mas eu mencionei os exemplos dos jogos anteriores por estes serem os mais marcantes que me vem a mente no momento (Existem outros). Mas não é deles que se trata o vídeo que abre esta postagem, o vídeo é sobre o G-Zero, referenciando o "G" ao console Mega Drive americano denominado de "Genesis", uma versão do F-Zero portada pelo gasega68k do fórum SpritesMind que trabalhou numa Conversão não-oficial de Wolfenstein 3D para Mega Drive que destrói a versão oficial para Super Nintendo. Mas o “G” também poderia ser uma retro-renovação ou uma “Denovação” à versão original lançada para Super Famicom em JP 21 de Novembro de 1990 e Super Nintendo no dia 13 de Agosto 1991 sendo seu lançamento nas América deixado para 4 de Junho de 1992.


Mas uma das coisas que eu sempre quis saber é: “Como seria uma versão de F-Zero para Mega Drive”... Uai! E porque chamaríamos isso de blasfêmia em pleno século XXI? Não há limites para a imaginação além da própria capacidade de fazer a coisa. E olhem só o que me mostram (Agradecimentos ao OrakioRob pela dica \o/): Um vídeo de um F-Zero para Mega Drive. Como resultado, vemos um jogo com um efeito de Model 7 bem mais granulado que sua versão original. Pra quem não sabe, o Mode 7 é um sistema gráfico existente no Super Nintendo que permite que rotacionar e variar a escala do objeto desenhado na tela criando uma grande variedade de efeitos. E o F-Zero usava isso de uma forma bem extensiva. Saiba mais sobre o Model 07 NO MEGA DRIVE clicando AQUI!

Mas como seria o resultado disso rodando no Mega Drive?

Bem, o áudio ainda esta zoado, ausência de musica, gráficos mais granulados e uma resolução inferior a do Super Nintendo. Mas quem se importa com isso? Eu quero é jogar G-Zero! gasega68k! Estamos apoiando seu trabalho e queremos ver esse projeto concluído!

A versão experimental você baixa AQUI!

PS: Quando esta versão estiver completa, eu posso fazer uma Desconstrução legal desse jogo, mas enquanto isso, acompanhem o fórum oficial do projeto clicando AQUI!.

No mais, desejo a vocês vida longa e próspera
\o/

16 comentários:

  1. Oba! Que ótima surpresa!
    O interessante pra mim, e para os que gostam de matemática, o Mode 7 é nada mais que uma transformação de matrizes das coordenadas do plano do game. Fonte:http://gamedev.stackexchange.com/questions/24957/doing-an-snes-mode-7-affine-transform-effect-in-pygame
    E belo texto com qualidade fantástica pelo curto tempo :-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por sugestão do Sotério, eu devo estar escrevendo um texto só mostrando o que acontece quado se manipula o Model 7 do Final Fantasy VI.
      Mas na verdade eu estou louco pra desconstruir o F-Zero, eu gosto muito desse game...

      Excluir
  2. Eu vi um pouco antes o vídeo lá na Retro Gamers Brasil. E cara... Muito bom... Espero que o projeto seja concluído. Não dou a mínima pra quem ou o que é melhor o que eu quero é jogar.

    ResponderExcluir
  3. acho muito bacana projetos assim, hehe e vou achar mais legal ainda quando você desconstruir esse treco =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa! Eu tô doido mesmo é pra debulhar o F-Zero!

      Excluir
  4. Realmente muito bom este projeto. Espero ver a conclusão dele, pois quero ver como será o projeto finalizado!

    ResponderExcluir
  5. Mesmo sendo um pouco inferior, eu sempre gostei mais dos gráficos do Mega-Drive. Nunca gostei daquele Blur que o SNES tinha. Isso e mais os jogos. Sei lá, mas os jogos do Mega-Drive me chamavam mais a atenção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lendo esse seu comentário, eu só lembro daquele Teenage Mutant Ninja Turtles: The Hyperstone... Alí só faltou poder jogar os inimigos na tela pra eu gostar mais ainda...

      Excluir
  6. Não sou muito fã do F-Zero, mas tenho que tirar o chapéus pros caras que estão fazendo o port. Além dele estar ficando muito bacana, ajuda a derrubar alguns mitos sobre o desempenho e o limite do console. Acho que a melhor coisa de projetos assim não é nem ficar de briguinha com os consoles concorrentes, mas sim ver até onde eles podem chegar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por falar em limites de consoles, tem um que eu gostaria que você falasse num dos seus videos...
      ;-)

      Excluir
  7. Eu não sabia muito sobre as "limitações" do mega drive,isso por que usei pouco este console.
    Hoje eu aprendi bastante.

    ResponderExcluir
  8. No F-Zero snes algum sabe de algum programa que de para visualizar o plano de fundo do jogo?

    ResponderExcluir
  9. Boa noite Jonathan, um programa para visualizar eu não conheço, e se existir, creio ser um pouco complicado porque geralmente essas imagens não ficam organizadinhas dentro da ROM. Entretanto, você pode usar um recurso especial que o emulador ZSNES possui. Eu uso o zsnesw151 que você pode baixar aqui (http://www.emulator-zone.com/download.php/emulators/snes/zsnes/zsnesw151.zip).
    Ao abrir o emulador e carregar a ROM, no momento em que você estiver na fase onde tem o cenário de fundo a qual você quer capturar, basta você pressionar as teclas de remoção e re-inserção de elementos gráficos na tela que são a tecla 1, 2, 3, 4 e 5, a tecla 6 normaliza tudo. Por exemplo, já que você deseja o plano de fundo, ao carregar a fase e iniciar o jogo, basta pressionar as teclas 1, 3, 4 e 5 (O cenário de fundo esta na tecla 2), ok?
    Espero ter ajudado.

    ResponderExcluir