19 de junho de 2015

Super Mario 64: Mais um fã-remake em HD

Ainda no mês passado eu estava perambulando por aqui no Desconstrutor falando de uma versão do Sonic para Nintendo 64 que EU batizei como “Sonic The Hedgehog Plumber 64”, que nada mais era que um Hack onde o modelo poligonal do Mario era substituído pelo mod do Sonic no próprio game Mario 64. Lembram? Na mesma época eu estava acompanhando outro projeto de recriação em alta definição do clássico game Mario 64, e acabei topando com outro de mesma natureza. Bem, esta notícia já não é nova, mas mesmo assim senti vontade de comentar um pouco sobre o assunto aqui hoje:

Super Mario64 por Fadin

Analisando brevemente um determinado mero momento histórico, o ano de 1996 foi marcado por uma revolução não somente no mundo dos games como também na própria estrutura dos jogos do Mario.


- E qual revolução seria esta?

Simples! O nosso italiano bidimensional passou a entrar pelos canos de três dimensões do reino do cogumelo graças ao poderio “Ultra” :-) avançado (Para época) do Nintendo 64, ou “Ultra 64” como foi denominado o projeto do Harware na época (e como eu gosto de falar até hoje). O Nintendo sixty four foi o terceiro console caseiro da “Big N” lançado no Japão no dia 23 de junho de 1996 e nos EUA em 29 de setembro de 1996 e que, mesmo apesar de ter o dobro da capacidade de seus concorrentes de 32Bits da SONY e SEGA (Respectivamente PlayStation e Saturn), este ainda o classificava como uma plataforma de 5ª Geração.


Super Mario Bros. 3 em 3D por Robbienordgren

Se por um lado existem pessoas que não receberam o Super Mario 64 com bons olhos, é inegável que ao redor do mundo existam pessoas que realmente o idolatram, o que é concebível visto que nem Jesus Cristo agradou a todo mundo. Mas o que um fan com talento, imaginação, recursos, inspiração, tempo e boa vontade faz quando ama tanto uma determinada obra? Simples, ele a expande através de uma coisa denominada como “Fanworks”, que são obras em qualquer formato criado por fans, quer sejam vídeos, músicas, fan fic’s (Fanarts, Fanfictions, Fangames, Fanmovies etc). Eu mesmo já andei criando algumas coisas sobre Phantasy Star para o site da Gazeta de Algol e até escrevi uma Fan Ficção pré Phantasy Star II chamada B-rai-N que você pode conferir clicando AQUI. Além de expandir o universo do original com sua criação de fan, alguns desses trabalhos podem até recriar o original inteiro as vezes até fazendo uso do que se tem de mais recente tecnologicamente.

Outra arte de Robbienordgren denominada Super Mario 64 – Jolly Roger BayRoom

Mas a influência de uma determinada obra não atinge somente seus fans, a área de abrangência muitas vezes acaba envolvendo projetos da própria empresa detentora dos direitos da obra. Por exemplo, o fato do Mario 64 ter servido como base para outros títulos oficiais do bigodudo como Super Mario Sunshine desenvolvido para GameCube, Super Mario Galaxy para Nintendo Wii e etc. Todavia, o meu objetivo aqui não é escrever sobre esses outros jogos e nem se quer desenvolver uma resenha sobre Mario 64, mas falar de alguns projetos muito bacanas, um deles foi criado por Aryoksini, mStuff, Callum Martin e Chadtronic usando a Engine Blender como ferramenta de desenvolvimento, observem o vídeo a seguir:

Vídeo publicado em 3 de janeiro de 2015

Este remake, demonstrando no vídeo anterior, repagina o game com gráficos anos luz à frente de seu original trazendo novamente (intuito dos recriadores) as mesmas 15 fases onde o objetivo do jogador é salvar pela milionésima vez a Princesa Peach e recuperar as 120 estrelas (Na verdade você já fecha o game com 70 estrelas) que Bowser havia roubado com ajuda de seus capangas. Observem na imagem a seguir um comparativo entre o game original (Direita) e o Remake HD (Esquerda). Mas só salientando que este é um projeto SEM fins lucrativo, ou seja, desenvolvido por um time de indivíduos apaixonados pelo jogo original e que NÃO terão lucro com o projeto já que não se trata de um remake oficial da Nintendo.

Gráficos melhorados são como um colírio para os meus olhos, mas outros setores precisam ser trabalhados também! 

Repararam como o “mundo” contido no interior do castelo da princesa cogumelo parece esconder uma vastidão exploratória muito maior do que imaginamos ao ver de seu exterior? Em relação ao Remake, podemos notar claramente a evolução do trabalho através de um vídeo no YouTube em comparação a versão original, e é de se surpreender como mesmo nos estágios iniciais os resultados já estão incríveis. Aliás, as música remixada para o remake também dão um toque singular ao projeto, como as “Opening Scene”, “Dire Dire Docks” e “Koopa's Road” recriadas (Orchestral Remake) por AdulescensFMusic e as "Bomb-omb Battlefield" e "Wing Cap Theme" “remakeada” por Joshua Milo. O AdulescensFMusic já andou trabalhando em outros remixes como The Legend of Zelda - Ocarina of Time Credits, Banjo Tooie - Mr. Patch Battle Theme, The Legend of Zelda: Ocarina of Time - Hyrule Field Theme dentre outros, assim como o Joshua Milo que possui em seu canal outros trabalhos NÃO gamisticos musicais muito bons.


Entretanto, outro projeto criado pelo por Erik Roystan Ross para a plataforma Unity 3D, que possibilitava ser jogado, foi retirado do ar pela própria Nintendo, mesmo o objetivo do game era somente servir de teste de demonstração para o funcionamento de um controlador, ele próprio recriou a primeira fase inteira do Super Mario 64 disponibilizando o resultado para Windows, Mac e até Linux. Assistam ao video a seguir para ver o resultado: 


Bem, todos sabemos que a Nintendo tem todo o direito legal de barrar quais quer projetos de games de sua franquia, mas que mal teria o desenvolvimento do mesmo se nem para fins lucrativo esse trabalho foi pensado? É por isso que as vezes eu penso que as grandes empresas estão onde estão por conta de suas mancadas, não que esta seja uma destas. Mas e se em vez de barrar o projeto, eles não contratam esses caras para trabalhar com eles? Vou me despedindo por aqui, e se gostaram das pixelartes mostradas neste post, dêem uma passadinha na Galeria do Robbienordgren no deviantart e prestigiem seu trabalho.

Vida longa e próspera!
\\//_

6 comentários:

  1. E a cada dia mais, aparecem pessoas com seus talentos incríveis. Dessa forma (como podemos ver) o mundo dos games tende a crescer de forma que ainda não podemos compreender. O que virá depois, o que virá?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Vagner, a tecnologia avançando dessa forma propicia certas facilidades que antes não havia.

      Excluir
  2. A regra é clara: quer fazer um fan-remake de jogo japonês, desenvolve todo e só depois bota na net. Aí ninguém mais consegue tirar do ar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deviam ter feito assim no caso do Chrono Trigger 2

      Excluir
  3. Outro fanwork muito bom na atualidade é o fanmangá/doujinshi francês(e global) Dragon Ball Multiverse.Que continua a história de DBZ apartir do final do mangá e também inclui as histórias dos filmes modificadas para ficarem coerentes com o cânone. Sem falar que é uma continuação que mantém a velha violência das lutas clássicas e possui um enredo e linguagem bem maduras, pois seu público alvo são os fãs adultos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa questão dos filmes é uma coisa séria. As vezes eu fico assistindo tentando enquadrar num ponto da série, mas depois eu acabo levando mais em consideração como algo do universo paralelo.

      Excluir